-->

Google+ Badge

4 de jun de 2010

Política e Meio Ambiente

Passadas as discussões da década de oitenta, o tema ecologia passou a ser agendado nas pautas da mídia e da política. Hoje, o desenvolvimento sustentável é a voz corrente.

Neste dia cinco celebra-se o Dia Mundial do Meio Ambiente, instituído em 1972 pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de chamar a atenção para a doença do planeta.
       
Após 36 anos as ações de sustentabilidade sobrepujaram a data e fazem parte do dia-a-dia. Institucionalizou-se o debate que culminou com o famoso e polêmico Protocolo de Quioto/Japão (simploriamente um tratado de boas intenções internacionais para a diminuição do efeito estufa), que atinge diretamente a matriz energética de países desenvolvidos, suas economias e mercados financeiros.
       
Com a presença de um grande número de chefes de estado tivemos a ECO-92 (Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro), quando se popularizou matérias como: a biodiversidade, a preservação, as mudanças climáticas e o “desenvolvimento social e econômico e de realização humana e cultural, com uso razoável dos recursos da terra e preservação das espécies e habitats naturais” conforme menciona o Relatório de Brundtland, o precursor do jargão desenvolvimento sustentável. Tamanha a importância política do assunto que, durante a realização da ECO-92, o então presidente Fernando Collor de Mello transferiu a capital de Brasília para o Rio de Janeiro.
        
De lá para cá a defesa da causa ambiental por políticos é  comum. O motivo é simples: além de ser uma causa digna é uma bandeira simpática à população, que vê na agressão ao eco-sistema uma ameaça à humanidade. Os perseverantes ambientalistas, dispersos nos partidos políticos ou reunidos numa identidade mundial - o Partido Verde (PV) - buscam o desenvolvimento sem prejuízo ao meio ambiente, um aspecto louvável que é reconhecido pela institucionalização de organizações e órgãos governamentais e privados específicos, pelas ações de agentes responsáveis pelo controle e fiscalização e pela conscientização da população. 
       
Saudemos a saúde do planeta Terra.
        
                            Sergio Sparta- Presidente regional do PRP

Nenhum comentário:

Postar um comentário